Roda de Funk - UFRJ

20/11/2008 | comentários: 3
A Escola de Música da UFRJ

A atual designação da Escola de Música foi estabelecida em 1965, quando, por força do Decreto nº. 4.759, do Governo Militar, a Universidade do Brasil transformou-se em Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ainda nos anos 1960, durante a gestão de Iolanda Ferreira, foram adquiridos os 27 pianos Steinway de vários tamanhos, que se encontram, hoje, nas salas de aula e de concertos. No mesmo período, o Salão Leopoldo Miguez passou por sua primeira grande reforma, que modernizou suas instalações, mas infelizmente ocultou grande parte da sua decoração original.

Já nos anos 1970, na administração de Baptista Siqueira, a Escola de Música ganhou um novo regimento, que estabeleceu a atual divisão acadêmica em sete diferentes departamentos. Coube ainda a Batista Siqueira evitar a destruição do prédio de aulas da Escola de Música, por ocasião da reurbanização da Lapa, que demoliu vários prédios vizinhos. Durante sua gestão a Orquestra Sinfônica da Escola de Música foi reformulada, passando a ter como base os alunos de graduação.

A partir dos anos 1980, atrelado ao processo de redemocratização pelo qual passava o país, professores, servidores técnico-administrativos e alunos passaram a indicar o nome dos novos diretores. A professora Diva Mendes Abalada, tornou-se então a primeira diretora nomeada por indicação da comunidade acadêmica e foi responsável pelo início do processo de modernização da Escola de Música. A ela sucederam-se no cargo os professores Colbert Bezerra, Sônia Maria Vieira, José Alves da Silva, Therezinha Schiavo, João Guilherme Ripper, Harlei Elbert Raymundo e o atual diretor, André Cardoso.

Nesse período foi criado o primeiro Programa de Pós-Graduação em Música do país, que já soma quase três centenas de trabalhos defendidos desde então, e foram criados os laboratórios de Música e Tecnologia e de Etnomusicologia. Nesta última década foi empreendida uma reforma curricular de grande proporção, resultando num novo Curso de Bacharelado em Música (oferecido em vinte e três habilitações) e numa nova Licenciatura em Música. Nos últimos anos deu-se início à reforma geral do prédio de 1922, com a restauração de suas características originais, projeto patrocinado pela Petrobras.


"Pelo resumo acima, voce pode perceber o quanto foi importante pro Funk entrar de cabeça erguida e pela porta da frente em um espaço como este. Isso é o "pódio" para que sejamos reconhecidos de fato como "Movimento Cultural".
Todos que estiveram presente, deixaram seus nomes gravados na história do "Salão Leopoldo Miguez" e serão lembrados como os primeiros funkeiros no "Templo Erudito".
Dia 19/11, à partir de hoje, será um dia histórico para o Funk e para escola.
Obrigada ao professor Samuel Araújo por proporcionar ao funk um momento tão precioso e emocionante. O funk agradece por tanto carinho e respeito.
Parabéns à todos!!!!!!!!!"




MC Dandara



MC's Teko e Leonardo (anfitriões)

MC's Nélio e Espiga








MC's Padilha, Espiga e Marcos (empresário)





Bateria mirim da Favo de Acari

Jandira Feghali

MC Garrincha





MC's Alex, Marquinhos e Pingo (Força do Rap)







Todos numa só



Mano Teko

Pingo e Cristiane ( Esposa )

Dandara, Carla e DJ Marcelo André

Mulekes Inocentes



Os Noturnos

DJ Duda da CDD e Bonde do Bacardi



MC Alex

Bacardi e MC Frann

DJ Duda da CDD

MC's Marcelo e Padilha