Rio Parada Funk, qual a sua opinião?

01/11/2011 | comentários: 33
Integrantes de galeras no palco da Coisona

A maratona do Rio Parada Funk, chegou para colocar o evento definitvamente no calendário carioca. No total, 90 atrações entre DJs e MCs dividiram as mais de 8 horas de música para um público extimado em 100 mil pessoas.

Uma homenagem desde os anos setenta, quando surgiram os bailes blacks e as primeiras equipes de som, até os dias atuais. Crianças, adultos, jovens e figuras excêntricas tomaram as ruas da cidade dançando passinho, fazendo trenzinho ou batendo bundinha até o chão. Por diversas vezes me emocionei com a emoção dos outros!

Em uma apresentação vibrante para um público saudoso, DJ Funk Boy investiu no tradicional, tocou muito Miami Bass e empolgou a plateia que acompanhou em coro os refrões abrasileirados, com palmas e passinhos coreografados. A famosa vinheta "A festa ia animada, quando alguém de lá gritou: Cash Box..." foi um dos pontos altos. Há muitos anos eu não curtia um baile da Cash Box orquestrado pelo querido Funk Boy, então eu estava literalmente anestesiada.

Espião, Dudas, Curtisom Rio, Pipos, Pitbull e Soul Grand Prix, fizeram belíssimas apresentações. Os equipamentos estilizados foram incansavelmente fotografados, uma diversão à parte. As pessoas estavam visivelmente emocionadas!

Se colocarmos na balança os prós e os contras, foi um evento bem sucedido, que agradou a grande maioria dos funkeiros e simpatizantes. Segundo os organizadores o evento foi avaliado como positivo, uma vez que reuniu em torno de 100 mil pessoas e tudo saiu como esperado.

Bem, mas eu quero ressaltar alguns pontos para o próximo evento:

- A Coisona pecou ao colocar ex-representantes de galeras no palco, os gritos de "guerra" deixaram o ambiente em frente a equipe tenso. Desnecessário!

- As equipes tocaram ao mesmo tempo, além de proporcionar uma confusão musical, os shows foram prejudicados. Muitos MCs cantaram ao mesmo tempo em equipes diferentes, não tinha como seguir o cronograma.

- E pra mim, o pior de todos, foi o distanciamento da Furacão 2000 e da Big Mix do restante das equipes. Olhando de longe, parecia um evento à parte.

- Não entendi a função e a necessidade do palco principal.

O primeiro evento sempre fica como experiência, por isso espero que a organização enxergue as críticas de forma positiva. Nós funkeiros, queremos que o Rio Parada Funk arraste milhares de pessoas nas próximas edições, se espalhe por todo Brasil e mostre a força do movimento.

Valeu, até a próxima! Deixem seus comentários!


Créditos Foto: Eu amo baile funk

"Se você e/ou sua empresa possui os direitos de alguma imagem/reportagem e não quer que ela apareça no Funk de Raiz, por favor entrar em contato. Serão prontamente removidas".