Lavando as "escadarias do Bonfim" da minha alma.

05/09/2009 | comentários: 0

Dia 1º de Setembro, dia do reconhecimento, do renascimento, consagração e justiça. Historicamente falando, essa data é mais uma a ficar registrada na vida de todos os funkeiros, o funk é oficialmente MOVIMENTO CULTURAL e certamente irá ajudar a todos aqueles que dependem dele para sobreviver dignamente.

Eu descreveria este momento assim...

Como em um filme, o funk agonizava, esperando os primeiros socorros e quando finalmente chegavam até ele, vinham pela metade ou de forma errada. De repente, ele é levado em coma para uma sala de UTI dentro do pior hospital e lá fica largado, entregue à sua própria sorte. Muitos usufruindo de sua herança para benefício próprio sem ao menos se preocupar com sua saúde e ele ali, esperando a justiça organizar seus bens, transferí-lo para um hospital onde ele pudesse ter todos os recursos e sobreviver. De repente, em uma daquelas visitas despretensiosas, alguns artistasmilitantes, vestidos com suas verdades decidem demonstrar todo o seu amor por ele. O ato causa repercussão, o Funk sai do coma, recupera a sua força e é recebido de braços abertos. De vagabundo e marginal passa a Movimento Cultural. O menino discriminado é militante e tem os pés, a cabeça e o corpo todo no chão e em meio a toda essa festa ele agradece e diz que o importante não é estar apenas vivo, não é festa, mas é voltar a luta e poder dividir a sua herança de forma justa e responsável.

Lembrei da época dos bailes no Clube Fluminense, onde comemorávamos as conquistas puxando um mulão. Quantas saudades da Cash Box, das galeras, dos concursos de Raps, dos amigos, das montagens inéditas feitas ali causando êxtase em todos. Nossaaa, os gritos de "guerra"!!!!!!!!! Como seriam neste momento??? Tenho milhares pipocando na cabeça agora, mas deixaria apenas meu coração falar. Definitivamente seriam gritos emocionados, decorrentes de muitos "sapos engolidos" durante todos esses anos.

Os baianos lavam as escadarias do Senhor do Bonfim na festa religiosa mais tradicional da Bahia, o funk começa seu processo de limpeza total. A festa feita para Oxalá de forma escondida, veio à público com a reformulação da festa do Bonfim e a efetiva participação dos africanos e afro-descendentes. A nossa festa não é religiosa, mas foi negligenciada e por muitas vezes escondida. Assim como o banho de cheiro nas escadarias do Bonfim, os degraus das escadarias da ALERJ foram lavados por milhares de funkeiros emocionados . As roupas típicas usadas pelas baianas, deram lugar aos bonés, a água de cheiro foi trocada pelo som das pickup's do DJ Marcelo Negão e os cantos religiosos transformados em gritos de vitória. A lavagem das escadarias da igreja, é uma festa popular e lugar de memória e comemoração.

Esperamos transformar o 1º de Setembro em uma data especial e memorável. Assim como baianos, o Funk terá sua identidade. Entre versos e muita "prosa", mostraremos que o ritmo é muito mais informação, cultura e lazer.

Até a próxima!

Créditos Foto: Blog do Rueda

Créditos Texto: Claudia Duarcha