Força do Rap, Fu da Bacardi, Jr. e Leonardo como resposta.

14/07/2009 | comentários: 1

O Funk hoje (sempre) é acusado de todos os problemas que há anos vêm se arrastando pelo Rio de Janeiro. Como a "onda" do momento é a "desintoxicação" do Estado para torná-lo tão bonito politicamente como é geograficamente, a culpa novamente cai na conta dos funkeiros.

Sabemos que grande parte dessa ojeriza, é porque as pessoas associam o ritmo ao tráfico, reclamam do alto volume das músicas até altas horas da madrugada e do seu conteúdo. Antes o funk era "fuzilado" por falar da realidade, política e situação das favelas, agora por apresentar uma linguagem obscena e vulgar. Os excessos existem sim, é preciso combatê-los. Agora, afirmar que o funk é o grande vilão e o causador de todos os problemas do Rio, também é excessivo. É tão claro como certo, que o problema vai além disso. Se o funk mudar toda a sua estrutura, vocabulário, se politizar, levar mais informação, continuará sendo perseguido, pelo simples fato de propagar a voz, cultura e diversão das favelas.

A grande verdade é que a maioria não tem nenhum envolvimento com nada ilícito, são pessoas responsáveis por famílias que precisam trabalhar, como qualquer ser humano idôneo que preza por seus direitos.

Tenho lido várias notícias com depoimentos e comentários BURROS e poderia ficar horas escrevendo sobre corrupção, falta de respeito, discriminação, falta de informação, preconceito, descaso e a velha história de poucos com muito e muitos sem nada, mas vou dividir com você três clássicos do funk ATUAL. As três músicas estão fora do circuito imposto pela mídia, não adianta procurar nas rádios.

Força do Rap - "Barraco no Morro"

Quem é você para falar dos meus erros, tu não me conhece não sabe quem sou,
a luta que tive, a fome que minha família passou,
aonde tava você na hora do perrengue, porque você não tava lá seu doutor?
a sociedade hoje fala de mim mais ninguém me ajudou,
todo mundo fala que eu ando armado, ninguém fala que já tentou me matar o tempo que o rodo subia o morro pra assassinar
Iam na favela botando o terror para matar os moleque pegar o dinheiro desculpa doutor para chorar minha mãe chora a deles primeiro
Lá no morro o barraco na chuva descia, mamãe lavadeira trabalhava em casa de família,
papai desempregado piorava a situação, alcoolizado da rua sempre de agressão
Não tive chance pois não nasci herdeiro não,
só fiz o que achei certo peço a Deus o perdão,
(Era assim) Era assim que o moleque dizia,
Era assim que o moleque falava,
no beco de uma favela pra um repórter que o entrevistava,
Era assim que o moleque dizia,
Era assim que o moleque falava,
no beco de uma favela pra um repórter que o entrevistava

Fú da Bacardi - "Sou Negro"

Mas a política que tem aqui parece feita para não me defender
se for pretinho não tem caô na saída leva uma geral se não tiver nada, mas se eles cismar fala pra ir embora ou me dá um pau eu já não agüento,
tanto tormento eu não to conseguindo viver quero a paz tranqüilidade andar na fé
CDD vejo muitas crianças aqui sofrer porque não tem nada para se ocupar
nem projeto e alimentação e escola para estudar será assim que vai melhorar
estão deixando nossas crianças em vão mãe me desculpa a decepção hoje seu filho virou ladrão eu fico triste abaixo a cabeça e logo começo a pensar se no meu futuro
Deus vai me ajudar porque meu filho eu pretendo criar
Perdi vários manos estou boladão, tenho certeza que não vão mais voltar
descanse em paz todos amigos que estão nesse lugar mano Menor, mano Gu, não esqueço do Cabeção do Alex, Zequinha e do Negão
Fico por aqui deixo um abraço para todos negros do Brasil
Djavan, Toni Garrido e meu mano MV Bill
Eu sou negro, eu sou negro sim tenho orgulho de onde moro e também tenho orgulho de mim
sou funkeiro, sou funkeiro sim tenho orgulho de onde moro e também tenho orgulho de mim
Sou favela, sou favela sim tenho orgulho de onde moro e também tenho orgulho de mim

(Créditos letra Fanzine Cartel do Rap)

Júnior e Leonardo - "Tá tudo errado"

Comunidade que vive a vontade com mais liberdade e tem mais pra colher
pois alguns caminhos pra felicidade são paz, cultura e lazer
comunidade que vive acuada, tomando porrada de todos os lados fica mais longe da tal esperança
os "menores" vão crescendo tudo revoltado
não se combate crime organizado mandando blindado pra beco e viela
pois só vai gerar mais ira naqueles que moram dentro da FAVELA
sou FAVELADO e exijo respeito são so meus direitos que peço aqui
pé na porta sem mandado, tem que ser condenado não pode existir
Tá tudo errado é até difícil explicar
mas do jeito que a coisa tá indo já passou da hora do bicho pegar
Tá tudo errado, difícil entender também
Tem gente plantando o mal, querendo colher o bem
mas sem emprego, filho sem escola é o ciclo que rola naquele lugar
são milhares de histórias que no fim são as mesmas pode reparar
sinceramente eu não tenho a saída de como devia o tal ciclo parar
mas do jeito que tão nos tratando só tão ajudando esse mal se alastrar
morre polícia, morre vagabundo e no mesmo segundo outro vem ocupar o lugar daquele que um dia se foi
pior que depois geral deixa pra lá
agora amigo o papo é contigo só um aviso pra finalizar
o futuro da favela depende do fruto que tu for plantar
Tá tudo errado é até difícil explicar
mas do jeito que a coisa tá indojá passou da hora do bicho pegar
Tá tudo errado, difícil entender também
Tem gente plantando o mal, querendo colher o bem

"Você até pode devolvê-lo a "senzala", mas jamais apagará sua história. Sua "voz" continuará ecoando pelos becos e vielas".

Créditos Texto: Claudia Duarcha