Bailes temáticos

10:15


Com o fim dos Festivais de Galeras, os donos das equipes de som precisavam urgentemente de algo que ocupasse o vazio deixado por eles. Foi então que os bailes temáticos começaram a invadir os clubes por todo o Rio de Janeiro.

Na época, cada equipe inventou um tema e os bailes ficaram muito mais divertidos. Não lembro de todos até porque eram milhares de bailes e equipes, mas no Fluminense em Niterói, um dos bailes que mais freqüentei, lembro do "Transito Livre", "Baile da cebola", "Porca e Parafuso" e "Namoro na TV", sei que tiveram outros, mas esses foram os que ficaram na memória. Cada tema tinha um esquema e funcionava de maneira diferente, isso sem dúvida era o diferencial.

"Transito Livre", funkeiros tinham que ir com as cores do semáforo. Verde (pra quem estivesse livre e desimpedido), vermelho (comprometido (a)) e amarelo (para quem estivesse enrolado ou indeciso). A maioria das meninas não tinha coragem de usar verde para não parecer fácil demais, então praticamente todas estavam de vermelho e os homens de verde ou amarelo. Mesmo assim, acabavam se acertando!

"Baile da Cebola" se o cara ou a menina te convidasse para conversar ou dançar a lenta e você dissesse não, era obrigado a morder uma cebola. Era uma farra! A cara das pessoas tendo que dançar a lenta só para não passar o resto do baile fedendo a cebola.

"Porca e Parafuso" na entrada tinham dois sacos enormes, um com porcas e outro com parafusos. Mulheres pegavam uma porca e os homens um parafuso. Durante todo baile iam tentando encaixar um no outro, o casal que conseguisse ia até ao palco, ganhava prêmios e participava de brincadeiras. Esse para mim era o melhor, o couro comendo com as montagens, o baile pegando fogo e o povo desesperado tentando encaixar porca e parafuso. E quando achavam? Era uma gritaria, uma alegria, o baile com 3000 pessoas (mais ou menos) e vários conseguiam achar seus “pares”.

"Namoro na TV" era para mim o mais sem graça, o DJ ou dono de equipe chamava alguns caras e algumas meninas para subirem no palco e perguntava "Namoro ou amizade?" dependendo da resposta o beijo acontecia ali mesmo. Às vezes por causa de um LP, boné ou camisa da equipe, rolava o beijo, mas quando desciam cada um ia pra um lado.

Esses bailes eram muito divertidos, você conhecia centenas de pessoas e consequentemente acabava criando várias amizades. Independente do tema, o negócio era entrar no espírito da brincadeira e se divertir muito.

Se alguém lembrar de outros, por favor deixe um comentário aqui!


Texto: Claudia Duarcha

"Se você e/ou sua empresa possui os direitos de alguma imagem/reportagem e não quer que ela apareça no Funk de Raiz, por favor entrar em contato. Serão prontamente removidas".

You Might Also Like

2 comentários

  1. massa hein claudinha !!aqui em vitoria o baile "trânsito livre"era chamado de "baile do sinal"mas vlw abraços ...JUNIO DE VITORIA.

    ResponderExcluir
  2. pow mt loko,sem falar q o funk de antigamente era muito melhor.
    hj qualquer "palavrinha" q rola na tv eles mixam e disem q é funk
    EX: vc,vc,vc,vc,vc quer. Isso nunca foi funk.
    tempo bom foi cláudinho e boxecha!
    vlw abraçoo.

    CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM /ES

    ResponderExcluir

- Não serão aceitos comentários anônimos ou assinados com e-mail falso.

– Serão, automaticamente, descartados os comentários que contenham insultos, agressões, ofensas e palavras inadequadas.

– Serão excluídos, igualmente, comentários com conteúdo racista, calunioso, difamatório, injurioso, preconceituoso ou discriminatório.

– Os comentários publicados poderão ser retirados a qualquer tempo, em caso denúncia de violação de alguma das regras acima estabelecidas.

Like us on Facebook

Flickr Images

Frases