MC Wandinho

21/12/2009 | comentários: 0

Evandro Antonio, nascido e criado na "Baixa do Sapateiro", Complexo da Maré viu nos MC's da década de 90 a grande inspiração para sua vida. Frequentador dos bailes na comunidade do Borel, tinha William e Duda como ícones do movimento:

"“William e Duda”, eu vi muitos shows deles ao vivo lá na quadra da “Unidos da Tijuca”, eles pra mim são referencia, vi os caras cantarem ao vivo, vi a forma que eles comunicavam com o publico, com a gente que estava ali, então era uma coisa muito forte, eu aprendi muito. Tinha também “MC Neném” com o “Rap da Rocinha” né? E outro “D’Eddy” também, poxa o rap do D’Eddy o “Rap do Pirão” foi uma revolução né? Depois do “Rap da Barata” e o “Rap do Pirão”, foi que o rap começo a cresce mesmo aí surgiram "Galo", “MC Neném”, “Mascote”, “William e Duda” , "Teco e Buzunga", "Junior e Leonardo" e foi vindo essa rapaziada que é a nata do funk, é a historia mesmo. Curto muito também Claudinho e Buchecha, suas musicas ultrapassaram as barreiras do funk", fala Wandinho.

Impulsionado pelas apresentações, resolveu dar o primeiro passo rumo a sua carreira de MC. Se inscreveu no concurso de Rap da Vila do João e pela primeira vez subiu ao palco com uma musica de sua própria autoria. Musica essa que foi muito bem recebida pelo publico presente, colocando Evandro entre os favoritos do festival. O concurso não foi para frente por motivos desconhecidos, mas após essa participação, Evandro adotou o apelido Wandinho, começou a investir no sonho, e compôs vários melodys, raps no ritmo funk e hip hop:

"Tem que ta inspirado, eu também não consigo fazer uma musica por fazer. Aí quando eu me inspiro, eu tento formular o que eu quero falar naquela musica, aí começo a versar naquele ritmo, surgi a musica assim, simplesmente, assim de repente", explica Wandinho.

Em uma de suas andanças ouviu falar do Movimento Funk é Cultura e da APAFUNK. No mês de Agosto/2008, a associação fez um grande debate no Circo Voador e o MC viu a oportunidade de conhecê-la. Como é de praxe, ao término dos debates a APAFUNK faz uma roda onde os MC's conhecidos ou não, cantam suas musicas em uma grande confraternização. Tímido por estar perto dos seus grandes ídolos, Wandinho pegou o microfone e mandou o seu recado. Todos as pessoas presentes se curvaram ao talento do MC, sem duvida nenhuma ele foi uma das maiores descobertas da associação. E este encanto é mútuo, Wandinho se agregou a associação e passou a frequentar mais assiduamente as reuniões e eventos. Através da APAFUNK consolidou sua paixão pelo movimento:

"Eu prefiro o funk, porque acho que o funk é minha raiz, eu moro aqui no miolo da comunidade eu ouço muito funk, baile funk aqui é nossa cultura. Eu faço coral, eu escuto muito MPB e outros ritmos também, mas me identifico mesmo é com o funk, com certeza", fala Wandinho.

Em Novembro/2008, APAFUNK, Site Funk de Raiz e a comunidade de Acari unidos criaram o primeiro Festival de Cultura, uma festa linda onde artistas de dentro e fora da comunidade puderam mostrar suas composições. Wandinho ganhou o 1º lugar na categoria MC, fazendo a quadra da Favo de Acari sacudir ao som de "Tamos numa só", musica de sua autoria.

"O Festival de Acari foi o reconhecimento pelo meu trabalho. Minha musica nunca tinha sido premiada. Caramba!!!! Primeiro lugar no festival de rap, eu não sabia o que eu fazia, me dava vontade de gritar, eu saí correndo pra pega logo o meu troféu, eu fiquei muito feliz, muito feliz. Aí eu falei: “Caramba a minha musica é boa!!! Eu sempre acreditei, eu sei que sou capaz, mas aí você vê um premio você fala “caramba cara, a coisa é muito boa, vou levar isso mais à serio, vou correr atrás, isso tem que acontecer cara”, foi muito bom, muito bom mesmo, muito mágico", explica Wandinho.

Wandinho hoje segue seu caminho, por suas musicas serem expressivas, com letras informativas e politizadas o MC vem fazendo muitas apresentações em Universidades. O 1º lugar não foi garantia de sucesso, muito menos participações em rádios, mas ele tem a consciência de que isso não está ligado a seu talento, mas sim a falta de oportunidade no mercado, já que a mídia hoje impõe um estilo diferente do seu.

O Funk é coisa séria e ele sabe da importância do ritmo dentro das comunidades, mesmo "remando contra a maré", continua em seu propósito:

"O funk é a melhor maneira de trazer informação pra comunidade, as pessoas quando param pra ouvir é porque se identificam com aquilo também. Na minha visão o funk é cultura sim, ta aqui pra pode somar, ta pra pode engrandecer, revelar pessoas. Na minha vida o funk é tudo. Eu sempre fui um cara muito divido com trabalho, responsabilidade, compromisso com minha família, mas agora eu quero viver um pouco pro funk e do funk, eu preciso dele, ele também precisa de mim", fala Wandinho.

Baixe "Tamos numa só" (1º lugar no Festival de Cultura):

http://www.4shared.com/file/78251134/78c671f8/Wandinho_-_Tamos_numa_s.html

Baixe Cidade em desespero:

http://www.4shared.com/file/78253513/7994e68e/Wandinho_-_Cidade_em_Desespero.html

"Se você e/ou sua empresa possui os direitos de alguma imagem/reportagem e não quer que ela apareça no Funk de Raiz, por favor entrar em contato. Serão prontamente removidas".